Brigar faz parte das mudanças!

Tempo de leitura: 3 minutos

Olá, desejo um lindo dia a você!

Estava refletindo aqui sobre as vezes que decidi realizar grandes mudanças na minha vida, ou mesmo seguir um determinado caminho para realizar um sonho…

Todas as vezes precisei me indispor com alguém.

Então comecei a observar ao redor e percebi que com quase todo mundo é exatamente assim que acontece também! E em geral, isso acontece com pessoas próximas, com algum grau de intimidade.

Você decide começar uma dieta, logo aparece alguém para lhe dizer “Ué, mas logo você que adora pão!?”

Decide economizar dinheiro e já dizem: “Ah, mas isso que você está economizando é muito pouco”

Decide mudar de emprego e: “Você enlouqueceu? Já viu o quanto está difícil arrumar emprego hoje em dia?”

Compra aquele carro novo que sempre sonhou e: “Nossa, mas você não pensou em ajudar sua família ao invés de comprar um carro?”

Em resumo, nunca está bom para os outros. (E essas pessoas muitas vezes nem falam por mal, mas por acreditar que assim estão ajudando.)

Nossa cultura nos treina para sempre procurarmos agradar a sociedade, a família, os amigos, senão quem vai gostar de nós? Em que grupo nós nos encaixaremos? E é aí que está a grande armadilha, o que nos faz desistir de alcançar nossos sonhos mais verdadeiros.

Você sempre tem o mesmo comportamento, até que um dia você resolve mudar. Mas as pessoas que estão ao seu redor já se acostumaram com o modo que você sempre agiu. Elas estranham… Sentem como se você quisesse abandonar aquele grupo.

E outra, o fato de você mudar faz com que elas se sintam “cutucadas” a mudar também, e isso é extremamente desconfortável!

Afinal, o cérebro subconsciente tem uma área chamada Auto Preservação, que utiliza os registros de aprendizado (Vivências, crenças, estudos…) para decidir o que é melhor para você em termos de gasto energético e sobrevivência. Ou seja, a auto preservação está diretamente ligada com a famosa Zona de Conforto.

Assim, toda vez que você determina uma mudança, seja ela grande ou pequena, aquelas pessoas que não possuem inteligência emocional se sentirão incomodadas e inconscientemente vão projetar em você os medos delas próprias.

E então vem o “bombardeio” de comentários, lições de moral, dúvidas, e o famoso “você tem certeza?”.

Se você por acaso se auto afirma e mantém sua decisão, aí pronto, inevitavelmente algum desconforto vai aparecer, e até mesmo brigas e rompimentos de laços. E então pode surgir culpa, tristeza, vontade de desistir, sensação de isolamento e de incompreensão.

E nesse momento é importante ter recursos para lidar com essas emoções negativas: EFT, TFT e Hipnoterapia foram as técnicas que mais me ajudaram depois que passei por uma situação de rompimento de laços, seguida de depressão.

A primeira vez que fazemos uma autoafirmação a gente nunca esquece hehehe. O corpo treme, o coração dispara, os olhos choram, e muitas perguntas surgem na cabeça. “Será que estou fazendo certo?”

Autoafirmar é dizer SIM pra você mesmo. Fazer algo que você acredita, ao invés de seguir recomendações só pra agradar.

Isso faz parte da nossa evolução emocional, mas saiba que você vai sentir uma baita vontade de desistir, por achar que perdeu amor, amizades, respeito.

Só que se você persistir mais um pouco, vai se tornar um referencial para aqueles que te criticaram por estarem preocupados com você. Os outros mudam, quando nós mudamos. Essa é a ordem dos fatos.

Mude sempre que possível! Deixe o que não serve para trás.

Evolua! Brilhe!

E estará em paz, pois seguiu a sua verdade.

 

Um abraço apertado e carinhoso! ♥

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *