A fórmula para nunca mais ter problemas na vida

Tempo de leitura: 5 minutos

girl-1569411_1920

Estamos cansados de ouvir que “Há males que vem para o bem”, mas em geral, dificilmente conseguimos lidar de forma saudável com nossos problemas, e por vezes nos sentimos afogados pelas emoções aflitivas.

 

Já reparou como você costuma reagir diante de um acontecimento negativo? Isso pode ser crucial na sua jornada em busca da prosperidade em todos os níveis: Saúde, Financeira, Afetiva, Emocional, Realização profissional, etc.

 

Eu costumava ler, já aos 8 anos de idade, uma coleção de revistas do Dr. Lair Ribeiro, intitulada “Como ter sucesso”, e me lembro até hoje de um conto que me marcou profundamente, conhecido como Sorte ou azar:

   Sorte ou Azar

“Era uma vez um menino pobre que morava na China e estava sentado na calçada do lado de fora da sua casa. O que ele mais desejava era ter um cavalo, mas não tinha dinheiro.

Justamente nesta dia passou em sua rua uma cavalaria, que levava um potrinho incapaz de acompanhar o grupo.

O dono da cavalaria, sabendo do desejo do menino, perguntou se ele queria o cavalinho. Exultante o menino aceitou.

 

Um vizinho, tomando conhecimento do ocorrido, disse ao pai do garoto: “Seu filho é de sorte!” “Por quê?”, perguntou o pai. “Ora”, disse ele, “seu filho queria um cavalo, passa uma cavalaria e ele ganha um potrinho. Não é uma sorte?” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, comentou o pai.

 

    O menino cuidou do cavalo com todo zelo, mas um dia, já crescido, o animal fugiu.

 

    Desta vez, o vizinho diz: “Seu filho é azarento, hein? Ele ganha um potrinho, cuida dele até a fase adulta, e o potro foge!” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, repetiu o pai.

 

    O tempo passa e um dia o cavalo volta com uma manada selvagem. O menino, agora um rapaz, consegue cercá-los e fica com todos eles.

 

Observa o vizinho: “Seu filho é de sorte! Ganha um potrinho, cria, ele foge e volta com um bando de cavalos selvagens.” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, responde novamente o pai.

 

Mais tarde, o rapaz estava treinando um dos cavalos, quando cai e quebra a perna.

 

Vem o vizinho: “Seu filho é de azar! o cavalo foge, volta com uma manada selvagem, o garoto vai treinar um deles e quebra a perna.” “Pode ser sorte ou pode ser azar!”, insiste o pai.

 

   Dias depois, o reino onde moravam declara guerra ao reino vizinho. Todos os jovens são convocados, menos o rapaz que estava com a perna quebrada. O vizinho: “Seu filho é de sorte…”

 

    Assim é na vida, tudo que acontece pode ser sorte ou azar. Depende do que vem depois. O que parece azar num momento, pode ser sorte no futuro. ”

 

 – Do livro: O Sucesso não Ocorre por Acaso – Dr. Lair Ribeiro

 

Depois de ler isso fica claro que, por não termos noção exata do futuro, é absolutamente INÚTIL reclamar de qualquer problema que temos, pois não sabemos se ele pode vir a ser a salvação e o motivo do nosso sucesso.

 

O segredo é avaliar cada acontecimento como simplesmente um acontecimento, sem nenhum julgamento ou carga emocional negativa a respeito dele.

 

Por exemplo, eu mesma fui capaz de deixar meu emprego de concursada na Petrobras para trabalhar com terapias holísticas, algo que realmente faz sentido pra mim!

 

E tudo isso graças a quê? A uma bendita depressão que me fez repensar como eu estava reagindo diante dos acontecimentos que me afligiam. E a outra fase importante foi agir, procurar meios para recuperar a minha alegria tão querida.

 

Costumo abençoar os problemas que tive porque foram eles que me tiraram da zona de conforto, e me tornaram comprometida com minha felicidade a tal ponto de ter coragem para mudar até o que parecia uma vida perfeita para muitos.

 

Vingança?

 

Certa vez, ouvi uma frase numa palestra motivacional: “Você deve se vingar dos seus inimigos/problemas” e fiquei cho-ca-da. Como assim, pessoas desenvolvidas, espiritualizadas, dizendo um negócio desses?

 

Mas aí veio a explicação: Você deve se “vingar” dos seus inimigos, tendo cada vez mais sucesso do que esperam de você e superando cada vez mais suas próprias limitações!

 

  • Se “vingue” dos seus problemas, sendo grato por eles. A gratidão naturalmente transformará o problema em uma experiência de aprendizado;

 

  • Se “vingue” da sua não-promoção sendo o melhor funcionário que conseguir ser;

 

  • Se “vingue” de quem roubou seu celular, abençoando quem o tiver levado – Que ele(a) seja muito feliz com seu novo aparelho e possa ter uma vida melhor a partir de agora!;

 

  • Se “vingue” dos quilos a mais modificando a sua consciência alimentar;

 

  • Se “vingue” das pessoas que querem puxar o seu tapete, desejando graças às suas vidas;

 

  • E assim por diante…

 

Mas ser bonzinho não é melhor?

 

Essa fórmula de “vingança” é até um pouco difícil de engolir, não é mesmo? Até porque vemos em vários filmes, novelas e seriados uma visão distorcida dos chamados “bonzinhos”, que fazem papel de idiotas e só se ferram na maior parte do tempo.

 

(Quer uma dica gratuita? Não assista mais novelas).

 

Mas na vida real, o verdadeiro bonzinho deve ter também uma autoestima bem desenvolvida para que não permita aos outros invadirem o seu espaço e nem roubarem a sua luz, só porque é do bem e deseja ajudar ao próximo.

 

Já te adianto que essa história de se “vingar” é uma questão de TREINO. Quanto mais treinar, mais automáticas serão suas atitudes. E mais você conseguirá aprender com os acontecimentos negativos.

 

A vantagem de fazer tudo isso é muito simples: Você NUNCA MAIS TERÁ PROBLEMAS para resolver, mas sim experiências para viver.

 

Treinamos a vida toda para reclamar dos problemas, e agora devemos ter disciplina para agradecer por eles.

 

E você? Tem algum problema ou situação que foi essencial para alguma mudança positiva na sua vida? Com certeza sim! Então me conte nos comentários, vou adorar ler todos eles!!

 

Um mega abraço, meus queridos! E até logo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *